DOENÇAS

ÁCAROS

ÁCAROS DA TRAQUÉI.
Os ácaros existem no meio ambiente, nas poeiras, nos detritos, um pouco por todo o lado, aliás é destes que eles se alimentam.
Quando as aves por qualquer motivo se cruzam com estes bichinhos, as coisas complicam-se.
O Sternostoma tracheacolum ( Ácaro da Asma–Fole-de-Canário ), Cytodites Nudus ( Ácaro dos Sacos Aéreos das Aves ), são só dois dos muitos, outros responsáveis por muitas dores de cabeça e desgostos de criadores e amadores que criam aves de gaiola ou ornamentais.
Primeiro instalam-se na boca afectando as vias aéreas. Nesta altura a ave sente-se incomodada e esfrega o bico nos poleiros e grades com vista a libertar-se destes, deixa de cantar, mas a ave come regularmente e está desperta.
Com o tempo os ácaros migram para a traqueia, o que torna a situação mais grave. A ave começa a ter irritação na traqueia e narinas manifestando um mau estar permanente por dificuldades respiratórias, dorme embolada (forma de bola) e respira com alguma dificuldade e tosse, passa a comer menos que o normal e as sua fezes começam a ser mais líquidas e esbranquiçadas.
Numa situação já muito grave os ácaros atingem os pulmões da ave contaminando todo o aparelho respiratório. Situação em que se pode já ouvir um ruído tipo assobio constante, durante o período noturno este ruído aumenta. A ave respira com muita dificuldade e mantém o bico aberto e espirra, esfrega a zona da traqueia e parte inferior do bico nos poleiros podendo mesmo provocar pequenas peladas (falta de penas) na zona descrita. A ave alimenta-se com muita dificuldade o que provoca a debilidade da mesma, as suas defesas caem o que a torna mais débil e frágil, facilitando o aparecimento de outras doenças. Como consequência da sua debilidade fica sujeita a apanhar novas bactérias e outros fungos. Estes problemas contribuem para o agravamento do seu estado de saúde e acaba com uma morte em agonia.
COMO PREVENIR:
Devemos manter as aves longe de correntes de ar e vento, evitar o contacto com outro tipo de aves (galinhas, pombos, aves silvestres, aves da rua), evitar as poeiras no interior do local onde mantemos as aves (em vez de varrer o chão será melhor limpa-lo com um pano úmido), evitar sobre povoamento dos viveiros, manter o local bem arejado, limpar e desinfetar os viveiros com alguma regularidade, desinfetar os ninhos e viveiros depois de cada criação (substituir o forro dos ninhos bem como toda a matéria de construção), antes do início das criações usar anti-ácaros em pó ou outro para prevenir o seu aparecimento, sempre que possível utilizar comedouros fechados de modo a que as aves não defequem em cima das sementes( assim evitamos o alastramento da doenças) , soprar/limpar as sementes dos comedouros de modo a não acumular pó ou restos muito pequeninos, sempre que adquirir uma ave nova faça-lhe uma quarentena antes de a juntar ao seu plantel, comprar sementes o mais limpas possível e por fim, estar atento aos primeiros sinais (isso poderá fazer a diferença entre a vida ou morte da(s) ave(s).
TRATAMENTO:
Atenção.Os ácaros provocam outras infecções em todo o sistema respiratório, que por conseqüência levam a debilidade de outros  órgãos.
Devemos ler sempre as indicações e dosagem dos produtos antes de utilizar nos tratamentos, muitos destes produtos são tóxicos e quando mal utilizados podem esterilizar as aves ou mesmo matar.
Separar as aves infectadas.
Avaliar convenientemente o estado em que se encontra a ave ou aves (podendo recorrer a ajuda de um veterinário ou criador mais experiente) muito importante este passo.
Deve começar a dar logo de imediato um poli-vitamínio ( conjunto de várias vitaminas essenciais) uma boa escolha é a qualidade e diversidade nas vitaminas essenciais, para ajudar a ave a combater a falta de apetite e conseqüente fraqueza, estas poderão ser ministradas na água ou nas sementes e papa.

Começar o tratamento o mais rápido que puder (não deixar progredir os ácaros), retirar nesta altura o gritez. O gritez contém substancias que dificultam o tratamento (minerais e carvão vegetal), usar uma mistura de semente
mais rica e energéticas. Recorrer ao uso de sementes cozidas ou  germinadas(ricas em ferro).
Durante o período de tratamento não se deve dar banho nas aves doentes.
Há produtos que utilizam as penas como meio de propagação do mesmo (ácaros externos)Arranjar um produto que contenha na sua composição “ivermectina”.
Produto recomendado por vários criadores
a “ivermectina” é de uso exclusivo para aves. Usado no combate a vários tipos de ácaros, vermes carídeos e nemetódeos gastritestinais é também muito eficaz no combate do piolho vermelho. No mercado dos pets shops, veterinário e farmácias podemos encontrar alguns remédios/medicamentos para debelar este tipo de ácaros e suas conseqüenciais.
Das muitas coisas que li e consultei na net e não só os que vou descrever são os mais falados (fórum) bem como 
paginas onde as doenças das aves são abordadas. 
O “ALLAX” da Jofadel, frasco de 5 ml é uma boa aposta. Pelas informações que li do produto pareceu-me bom. Atenção que eu nunca experimentei o “Allax” , estou a basear-me só no que li.
Depois temos o “PULMOSAN” da Bogena, frasco de 10 ml, recomendado em muitos sites e fóruns para problemas de ácaros e sistema respiratório. Este, eu já experimentei e só tenho a reconhecer que é bom. Contudo tem um contra o seu preço.No Sitio do Curió, uma vez ao ano, apos  a muda,usa-se o Ivomec-Pour-On,como prevenção. Ao  indagarmos os preços devemos pensar quanto vale um bom pássaro ou o nosso pássaro preferido, para os criadores será mais fácil a sua compra, pois o produto poderá salvar muitas aves. Logo o seu preço vale a pena.Devemos ter cuidado na  aplicação devido a ser um produto tóxico e forte.
Também temos o “FLORAMUCIL” da FLORA, produto francês que não é para combater os ácaros, mas sim para restaurar as capacidades respiratórias da ave, utilizando só um complemento de um antibiótico respiratório. Solução decarboxymethylcysteine e de essências vegetais aromatizadas.
A Orniex têm o “CORIZPEX” que é indicado para o controle de infecções respiratórias, gastro-intestinais e outros processos infecciosos das aves.
Como conclusão deste artigo, posso afirmar que haverá muitos outros produtos de outras marcas no mercado, uns melhores outros piores, o objectivo não é comparar produtos ou medicamentos mas sim tentar ajudar as pessoas com este tipo especifico de problema.
Este artigo têm como apoio literatura e imagens recolhidos na net.

Fonte Sítio do Curió.


ÁCARO DE PENAS:
3 gotas de desinfetante na banheira, por 5 dias.
QUANDO A AVE APRESENTAR UM DE SEUS DEDOS ENDURECIDOS, O QUE PODE SER?
Esse problema quase sempre é oriundo de ocorrências do tipo - poleiro liso e aí unhas crescem demasiadamente e o pássaro se engarrancha na grade por isso traumatiza as articulações dos dedos; o mais susceptível é o dedo traseiro - pode ser que seja isso que tenha acontecido - se for, o criador terá que cortar as unhas e verificar os poleiros no sentido de não deixá-lo liso; é uma sugestão.
Aloísio Peccini Tostes.
PIOLHO COMO ACABAR COM ELES:
Colocar 5 gotas de vinagre de uva branca na banheira e ir regredindo todos os dias
até zerar, exemplo no 1º dia 5 gotas, 2º 4, 3º 3, 4º 2 e finalmente 5º 1,
finalizando.
Segunda dica: 3 gotinhas de pinhosol só serve aquele puro (amarelinho) não
pode haver mistura, durante 3 dias na água de banho.
Fora isso aplicar o ivomec-puron da seguinte forma: usando-se de uma seringa
de insulina e uma agulha, pingar sobre a pele da coxa (não é injetar no
músculo e sim pingar), uma gotinha apenas do ivomec-puron, basta uma vez,
atentando para um detalhe retirar por um período a banheira evitando que se
banha, caso contrário pode haver problema
COMO RESOLVER O PROBLEMA DAS FORMIGAS
Seria providencial a identificação correta do tipo de formiga que o aflige, ou melhor, que aflige os pássaros, pois poderia certificar-me se são as mesmas que ocorrem aqui na Bahia e que após muitos aborrecimentos desenvolvemos um método de combate muito eficaz, sem contudo prejudicar os nossos pássaros. As formigas que o amigo descreve parece-me que são as Formigas Açucareiras ou as Formigas Faraós (Monomorium pharaonis) comuns em nossas residências e que atacam alimentos ricos em proteínas e açucares, entretanto pelo seu relato deve tratasse de espécie afim, já que temos no Brasil cerca de 15.000 espécies diferentes. O processo consiste no desenvolvimento de um repelente odorífero que exerce sobre os ditos insetos um poder devastador sem contudo causar qualquer dano aos nossos pássaros. O problema é encontrar a forma correta de usa-lo conforme cada caso.
O principio ativo ou repelente é o Cravo da Índia, especiaria muito usado em doces em cauda e compotas de nossas frutas, o processo de uso experimentado por mim com sucesso foram três que relato a seguir:
1. Espalhe alguns Cravos da Índia em volta do vasilhame contendo a Farinhada, as formigas somem imediatamente, entretanto alguns curiós ressentem-se com o odor e não comem a farinhada. Outros não se importam e bicam o Cravo comendo-os. Este fato levou-me a tritura-los no liquidificador e espalhar o pó na gaiola, resolveu em parte porque algumas matrizes não aceitaram o cheiro do cravo.
2. Cozinhe em Banho Maria com fogo Baixo por no mínimo quatro horas 150 gramas de Cravo da Índia em ½ litro de Óleo Nujol até que o óleo fique da cor de Vinho Tinto puxado a cor de café, em seguida coe em peneira fina para separar os cravos do Nujol que agora foi transformado em Óleo de Cravo da Índia.
Umedeça uma flanela com este Óleo e aplique nas paredes em volta das gaiolas formando “Ilhas” ou seja, as gaiolas das paredes são circundadas pelo óleo que não precisa escorrer, nem ser colocado muito próximo das gaiolas. Formamos uma espécie de circulo de proteção ao passar a flanela úmida nas paredes. A eficiência deste método é total.
3. Compre em uma Drogaria a essência do Cravo da Índia e pingue algumas gotas em um recipiente contendo Vaselina Sólida e misture para impregna-la com o aroma do Cravo. Em seguida unte com a vaselina os pés das gaiolas que ficam nas prateleiras ou ganchos das que ficam penduradas.
Gilson-BA.
MONTAGEM E ADAPITAÇÕES

Junior Floquet

Um comentário:

  1. meu curio ta com as pena das pernas pelado qual o remedio bom

    ResponderExcluir